Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2017

Postagem em destaque

MELHORES CIDADES DO MUNDO - Hong Kong, uma fascinante metrópole cosmopolita, com 7 milhões de habitantes que combina a cultura oriental com a ocidental, livre comércio, baixos impostos; lidera - Paris na França eh a 4ª

Imagem
CONHEÇA, DA JANELA DO TREM, AS "10 MELHORES CIDADES DO MUNDO PARA SE VIVER" O ECONOMIST INTELLIGENCE UNIT (EIU) DIVULGOU UM NOVO RANKING LISTANDO AS 10 MELHORES CIDADES DO MUNDO PARA SE VIVER. A LISTA, QUE TEM CAUSADO DEBATES, TRAZ HONG KONG EM PRIMEIRO LUGAR.
1° - HONG KONG (CHINA)
Uma fascinante metrópole cosmopolita, com 7 milhões de habitantes e 1,1 mil km² de área, que combina a cultura oriental com a ocidental. Sua população tem um padrão de vida comparável ao das grandes potências, com um PIB per capita de 43,8 mil dólares. O custo de vida da cidade, entretanto, é um dos mais caros do mundo. É o principal centro comercial da China. Possui uma economia de livre mercado, baixos impostos e mínima intervenção do governo central, seguindo a filosofia de "um país, dois sistemas".

2° - AMSTERDÃ (HOLANDA)
Amsterdã é prática, moderna e vanguardista. E essas qualidades de certa forma resumem as características de toda a Holanda, um país de território minúsculo que foi u…

50 LUGARES MAIS LINDOS DO MUNDO - Do Pantanal às Maldivas, de Veneza à Antártica, o que existe de mais espetacular, mais fantástico, mais maravilhoso no planeta (em fotos)

Imagem
CONHEÇA OS 50 LUGARES MAIS LINDOS DO MUNDO Como eleger os 50 lugares mais bonitos do mundo? Qual é a unidade de medida do belo? Recorre-se à estética ou à história para avaliar monumentos? E o legado cultural, a cor local, a população, onde e em que medida entram na fórmula?  A viagemeturismo.abril.com.br não tem as respostas, como, de resto, ninguém tem. Para compor esta lista, foi preciso lançar mão de um punhado de subjetividade. Por isso, dois colaboradores de longa data, CAIO VILELA e VALDEMIR CUNHA, comandam esta reportagem. Fotógrafos, jornalistas e globetrotters com mais de 80 países cada um no currículo, usaram variáveis como beleza cênica, graça do conjunto urbano, condição da natureza, ocupação e a própria relação afetiva com os destinos para compor a lista. “No fundo, os lugares que marcam são aqueles que aparecem de surpresa no caminho”, diz Caio. O melhor é que uma lista desta é sempre aberta, mutável, gera muitas outras e convida a fazer o que a gente mais gosta: viajar…